[Open Source]Breve Introdução ao Editor de Texto VIM

Nota: Este artigo trata-se de uma adaptação de um originalmente publicado por mim na edição 29 da Revista Programar.

Introdução

O editor de texto Vim, é uma aplicação open source disponível para os vários sistemas operativos Unix-based,
existindo também alguns “ports” para Windows, como o caso do cygwin, bem como diversas versões gráficas.

Para quem não conhece, o Cygwin é uma espécie de “ambiente unix” e linha de comandos para o sistema operativo da Microsoft, no entanto não é possível através deste “ambiente”, correr aplicações criadas nativamente para Linux, existindo uma necessidade de as recompilar.
O seu conjunto alargado de funcionalidades, como o syntax-highlight, fazem com que este seja um editor de
texto útil para programadores, daí a razão deste artigo.

Com este artigo, pretendo fazer um “tour” pelo Vim, mais propriamente pela versão 7.3, não vou abordar todas as
funcionalidades do mesmo, pois se o fizesse, talvez desse origem a um livro. O objectivo deste artigo é que no fim do mesmo fiquem a saber os conceitos básicos para desfrutarem do editor.

Instalar o VIM

Em muitas distribuições de Linux e no Mac OS X, o Vim já vem instalado, no entanto certas distribuições como o Linux Ubuntu não o trazem instalado, e a instalação deverá serfeita abrindo uma janela do terminal e escrevendo o seguinte comando:

$sudo apt-get install vim

A instalação em Windows, poderá ser feita através do cygwin ou da versão nativa existente para download na página oficial do editor em www.vim.org .

Utilização das funcionalidades de Syntax Highlight

Uma das principais funcionalidades para programadores do VIM é o syntax highlight, um grande auxílio que torna o código bastante mais legível, na imagem seguinte é possivel ver um exemplo desta funcionalidade:

vim1

Esta funcionalidade, poderá ser usada abrindo um ficheiro de código, com a extensão apropriada, por exemplo, um ficheiro com o nome programa.c, irá ser aberto com o syntax highlight para C.

Como Abrir

Se utilizar a versão Windows, poderá abri-lo como qualquer outro programa (menu iniciar ou através do executável do mesmo), se utiliza cygwin, Linux ou Mac OS X, deverá executá-lo através do terminal, através de uma das seguintes formas:

  • Se desejar abrir um ficheiro já existente, escreva o seguinte comando:

$vim <diretoria e nome do ficheiro>

  • Se desejar criar um novo ficheiro, especificando o seu nome logo na abertura da aplicação, o comando deverá ser o seguinte:

$vim <diretoria e nome do ficheiro>

  • Para abrir o editor com um ficheiro sem especificar o nome, basta correr o seguinte comando:

$vim

Irá então visualizar o ecrã inicial do VIM:

vim2

Se nunca trabalhou com este editor de texto, provavelmente estará neste momento a interrogar-se sobre como criar um novo documento. O motivo de não conseguir escrever nada, é porque não se encontra no modo que possibilita escrever, ou seja o modo insert.

No próximo ponto, serão abordados os diferentes modos do VIM.

Os diferentes modos do VIM

O VIM possui 3 modos de edição, que serão descritos de seguida:

  • Modo Insert – Permite inserir texto, sendo por isso o modo básico do editor de texto, por outras palavras possibilita escrever;
  • Modo Command – Permite inserir comandos, que permitem executar as várias funcionalidades do editor, como guardar e formatar o texto, fazer tipos de deslocamento específicios, etc. Para introduzir estes comandos, usa-se o teclado, por exemplo, para entrar no modo insert, deverá premir a tecla i , que é a tecla que deverá premir quando abre o VIM e quer começar a escrever. Se desejar voltar ao command mode, deverá então premir a tecla esc.
  • Last Line Mode – É um submodo do modo Command, para aceder ao mesmo, prime-se a tecla : no modo Command.

De seguida, irei descrevê-los de uma forma mais aprofundada.

 

O Modo Insert

Quando nos encontramos no modo insert, irá aparecer essa indicação no rodapé do editor, tal como se pode visualizar na imagem seguinte:

vim3

Este modo é bastante fácil de usar, as teclas das setas movem o cursor, e as de escrita permitem digitar texto. Para guardar o texto, deverá ir ao modo command premindo a tecla esc.

 

O Modo Command

1. Comandos para Mover o Cursor

O cursor poderá fazer movimentos simples e múltiplos neste modo, uma das características do VIM é o facto de poder usar teclas de letras para além das setas. Este sistema tem muitos fãs, uma vez que permite movimentar o cursor sem ser necessário tirar os dedos do centro do teclado.

Assim, as teclas correspondentes aos movimentos simples são as seguintes:

vim4

É também possível efetuar movimentos simples precedendo a tecla do movimento pretendido com o número de espaços que pretendemos efetuar, por exemplo, se pretender avançar quatro caracteres para a direita, poderá escrever 4I em vez de premir 4 vezes a tecla I.

Existem também outras formas úteis de movimentar o cursor:

vim5

2. Gravar e fechar o Documento

Para gravar o documento e/ou fechar o editor, os comandos a usar são os seguintes:

vim6

 

3. Edições Simples

O VIM possui um conjunto de comandos que possibilitam efetuar algumas edições simples ao documento. Alguns dos comandos mais utilizados podem ser vistos na tabela seguinte:

vim7

A tecla “c” tem como função substituir texto, possuindo a vantagem de poder dizer quanto texto deseja alterar, podendo para isso ser combinada com as teclas de movimento. Por isso, na tabela seguinte serão apresentadas algumas das possibilidades de utilização desta tecla:

vim8

Por isso, veja a tabela referente aos movimentos e use e abuse da tecla c.

 

4.Mover Texto

Uma vez que o VIM guarda temporariamente num buffer o texto eliminado, é possível restaurá-lo premindo para isso a tecla “p”. Desta forma, o procedimento para mover texto é apagar o que se pretende mover e restaurar o mesmo no local desejado premindo a tecla “p”.

Tenha em atenção que após qualquer outra alteração, o buffer é limpo, por isso restaure sempre antes de qualquer outra alteração.

5. Copiar Texto

A cópia de texto neste editor é feita através da tecla “y” seguida de uma tecla de movimento, ou da “y” para copiar toda a linha em que o cursor se encontra. Para colar utiliza-se a tecla “p”.

6. Repetir ou anular o comando anterior

Se desejar efetuar o mesmo comando várias vezes, coloque o cursor no local onde o deseja correr e prima a tecla “.” . Assim, o comando anterior será repetido. A última ação poderá ser anulada com a tecla “u”.

7. Deslocamentos no ecrã

Existem também algumas sequências de teclas que pode digitar no modo command e que permitem deslocar (fazer scroll) no ecrã:

vim9

Espero então que tenha gostado desta “breve introdução”. Dúvidas e sugestões nos comentários. Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *